Qual o meu maior sonho possível?

É claro que uma pessoa que vive afogada em sentimentos não tem um sonho, mas muitos.

Afinal, eu espero que o mundo seja maior que este caos.

E a única normalidade, está no fato que os meus sonhos não obedecem a qualquer regra de hierarquia.

Quando criança, praticamente um “esquizo espermatozóide”, eu vivia fazendo listinhas do tipo “meus três desejos”.

Até por que, eu nunca soube quando poderia aparecer o gênio pançudo da lâmpada.

Bem, por culpa da moral cristã, eu sempre me obrigava a colocar qualquer coisa como “paz para a humanidade” em primeiro lugar, mas a partir do segundo desejo eu recaía na mesquinharia.

Ah, eu sempre deixava uns desejos na suplência para o caso de encontrar um gênio que não soubesse contar direito, né?

Aprendi nesse período que: “ imaginar é a melhor parte de viver.”

Se eu contar quantas coisas idiotas e maravilhosas eu sonho antes de dormir, por exemplo, seria estudada por um algum cientista.

Pior: eu crio diálogos, faço roteiros, mudo os finais que não me agradam.

E olha, coloco até trilha sonora.

Apesar da paixão pela psicanálise, seria Jung quem me adoraria.

 Voltando ao sonhos, hoje o desejo mais possível e concreto é que eu aprenda a lidar com o tempo.

Com os dias, as horas, as semanas.

Queria muito não me perder neste emaranhado de compromissos e conseguir passear no Mercado Municipal numa terça-feira à tarde, sem culpa por desligar o celular ou por fingir que o tempo parou.

No entanto, é o impossível que me fascina…

Eu sonho em me conhecer melhor.

E por isso eu vou toda semana ao melhor psicanalista que conheço: José Waldemar.

Engraçado, a cada vez que ele me desestabiliza, fico um pouco mais perto de mim mesma.

E descer nas minhas profundezas pode ser um pesadelo, mas gosto do que vejo quando abro os olhos para dentro.

Honestamente, não gostaria de ser outra pessoa. Mas é claro, que deveria e/ou poderia ser bem melhor.

Meus outros sonhos beiram a fantasia, mas são só meus e tão improváveis quanto viver.

Por exemplo:

1º Eu sonho morar em outro país por um tempo. De preferência na Turquia, terra pela qual nutro um fascínio emplumado.

(Por hora me contento com viagens mais viáveis – $$$ – pois tenho o melhor parceiro nelas: Anderson.)

2º Eu sonho em dirigir livremente pelas estradas que o mapa indicar, arriscando o pouso, a comida e o band-aid na testa.

 (Eu tenho habilitação mas não dirijo, só de pensar na direção eu travo. E esse é um dos meus limites.)

3º Sonho aprender a cozinhar com calma.

4º Sonho morar em uma casa e ter um cachorro grande e brincalhão.

5º Sonho dormir até o meio-dia no domingo e não esquecer a o hidratante para o chuveiro quando entro no banho.

6º Sonho abrir a geladeira e encontrar mais que queijo, água, knorr e geléia.

7º Sonho não ter medo de insetos, de tomadas e do sol.

8º Sonho em não esquecer a data de aniversário de ninguém.

9º Sonho em aprender a fotografar com foco.

10º Sonho organizar meus livros e saber que “definição” é aquela.

11º Sonho entender certas coisas, juntar certos indícios e acreditar nos meus “certos” talentos.

12º Sonho escrever contos e não confundir minhas senhas.

13º Sonho não ter vergonha de mim mesma.

14º Sonho com a sensação de ordenar, mesmo que por um tempo, o caos de sentimentos em que vivo inclusa.

15º Sonho descobrir o poderoso brilho do que é cúmplice, do que é riso, do que é cabelo, do que é silêncio e do que é pó.

E ao final, sempre recaio no sonho de viver pra sempre esse novo amor (profundo e parceiro), que é muito mais do que só de viagens.

Anúncios
  1. #1 por Renata Marques em 29 de junho de 2010 - 16:47

    Que texto lindo! Como sempre, aliás.
    Acho que o nosso mal é olhar as coisas como um todo. Quando miramos a bagunça em que nos metemos, dá desespero, impressão que não tem conserto. É a ansiedade que a vida nos exige. Se aprendermos que ao guardarmos o primeiro item da bagunça e seguirmos guardando todos, a coisa vai se resolver por A+B, acho que não sofreríamos tanto.
    Uma coisa de cada vez, definir prioridades.
    Vamos tentar?

  2. #2 por Filipe Lázaro em 29 de junho de 2010 - 18:52

    Lindo texto Ana…. viva todos teus sonhos como se não fosse acordar!

  3. #3 por biba em 29 de junho de 2010 - 19:08

    fofooooooooooo adorooooooooooooo
    sonhar é viver??? viver é sonhar???

  4. #4 por Jujuba em 29 de junho de 2010 - 19:13

    Sonho em não parar de sonhar de fato! Viver as experiências malucas em que eu me meto quando minha alma viaja… dá medo, mas às vezes parece mais real do que a “realidade”.

  5. #5 por Jujuba em 29 de junho de 2010 - 19:14

    Será que estou pirando?!rs

  6. #6 por Fernando Foratto em 29 de junho de 2010 - 19:24

    Maravilhoso. diria até quase que uma replica dos sentimentos de todos.

    Eu Sonho até hoje em encontrar Peter Pan e minha querida tinkerbell… mas meu pedido seria não a infancia e sim a adolescencia…nossa como eu gostaria de ter 17 anos de minha vida novamente … literalmente o melhor ano de minha vida …

    alias, voce podeira escrever um texto aninha “saudades do meus 17” hahaha

    super beijo e parabens novamente pelo texto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: